Mas primeiro, um pouco sobre a minha história (eu falo imenso, se quiserem saltar logo para as lições eu não fico triste):

Há cerca de 1 ano, e por motivos de saúde, que tenho vindo a ganhar algum peso, ou diria mesmo, volume. O peso não me incomoda e quando falo nele, todos se escandalizam se eu digo que quero perder algum. O que eu quero mesmo é perder volume, nas pernas e no rabo.

De Março a Setembro de 2014, entrei no Ginásio, contratei um PT por 3 meses e achei que saia de lá uma top model. Não podia estar mais enganada! Treinava 3 a 4 vezes por semana, as aulas com o PT deixavam-me de rastos, e 6 meses depois estava literalmente igual. Sim tinha mais força, mais resistência e mais músculo, mas também tinha os 34 a apertar e os 36 a instalar-se nas minhas gavetas. Saí do Ginásio, e não o culpo, a culpa foi minha! Enquanto lá estive, “melhorei”, achava eu, a minha alimentação, mas continuei sempre a comer muito mal. Tive um verão frustrado, sentia-me mal com o meu corpo, e não tem a ver com as exigências, os media e conversa da busca da perfeição que toda a gente fala blá blá bá…eu sentia-me mal, porque eu não gostava do que via, e não vou gostar só porque um ou dois gurus do desenvolvimento pessoal e da teoria da aceitação dizem que devemos gostar de nós, não! Eu não gostava e sentia-me triste, com isso. Tinha pena de mim, e comia mais um chocolate.

De Setembro (2014) a Fevereiro deste ano não pratiquei qualquer desporto, nem tive grandes cuidados com a alimentação, festejava o quão saudável estava a ser quando almoçava salmão com legumes, mas á noite jantava um bife com arroz e batatas fritas.

Durante este último ano, investiguei muito sobre alimentação, descobri nomes novos, receitas novas, alternativas novas…pouco me aventurei.

Em Fevereiro, numa tarde com amigos, que já não via há algum tempo, chamaram-me “gorda”, e perguntaram-me se não estava grávida. Foi a primeira vez, que alguém (sem confiança para o fazer) me disse daquela forma, bruta e crua. Os homens são uns insensíveis, ou será que não? Uma amiga, que nos diz que estamos óptimas só para nos fazer sentir bem, por muito bem intencionada que seja, não estará a “ajudar” ao problema. Sim, porque o problema de alguém nos chamar de “gordas”, e a forma como isso é visto, de uma forma tão negativa só o é, porque ficamos tristes e podemos chorar, sentir-mo-nos julgadas e frustradas e agarrar-mo-nos a uma barra de chocolate para amenizar a tristeza, porque o ciclo de continuarmos a “maltratar” o nosso corpo, esse não se quebra.

O meu quebrou, não por causa desse parvalhão, que vos falei aí em cima, nah! Ele também estava gordo, só tenho pena de não lhe ter dito!

Sinceramente, nem eu sei como ou quando quebrou. Comia por todas as necessidades menos a de me alimentar, era fome emocional, era gula, era tudo menos FOME. Lia imensas coisas sobre nutrição e quanto mais lia mais crenças criava em relação a certas e determinadas coisas, e depois quando as comia ainda me sentia pior do que quando estava na ignorância.

Entrei para o Ginásio no final de Fevereiro, porque fui lá só para ver, e sai de inscrição na mão.

Depois de quase 2 meses de treino, adivinhem só? Estava igual! Ok, a mesma lenga lenga, mais força, mais resistência, blá blá blá…mas igual, magra da cintura para cima e as pernas e rabos carregados de celulite. A massa gorda rebentava a escala e eu continuava a sentir-me frustrada.

Foi então que resolvi experimentar aquela que posso chamar a minha primeira dieta, a que partilhei convosco.

Nesses 7 dias, mais importante do que seguir a dieta à risca, foi aquilo que aprendi. Primeiro que tudo, durante essa semana, não havia nada mais importante que a minha dieta, todos os meus passos, saídas e imprevistos estavam impecavelmente organizados com o novo tipo de alimentação que estava a seguir e não podia falhar. Perdi 2.5kg, mas mais importante que isso, ganhei uma nova consciência da minha alimentação, dos meus hábitos e do meu corpo.

E agora é uma sensação inexplicável de sentir que consegui, conseguir mudar a minha forma de pensar e ver a comida! Consigo optar por uma alimentação saudável ao invés de porcarias, sem vacilar. Sabem aqueles vacilos de passar em frente a uma série de restaurantes num shopping? Agora, tou nem aí, não penso duas vezes sequer. Mas também tenho o meu dia das gordices.

Por isso gostava de partilhar convosco as minhas aprendizagens, neste percurso, espero que gostem e que vos inspire.

1ª lição √ Tens de gostar do que estás a comer

Se vais seguir uma dieta ou adaptar um novo estilo de alimentação mais saudável, não te vai valer de nada comeres brócolos se não gostas do sabor. Faz uma lista de todos os legumes e frutas saudáveis que gostas. Pronto, já tens por onde começar: se a dieta te diz que deves acompanhar carne ou peixe com salada ou legumes, faz uma salada que gostes (e quando digo salada falo de uma variedade imensa, ideias que podes procurar na internet), escolhe legumes que gostes, e se achas que não gostas de nenhum, experimenta saborear (sem pressas), tenho a certeza que vais descobrir novos sabores que achavas que não gostavas. A mesma lista se aplica ao resto, carne, peixe, mariscos, tipos de leite (soja, arroz, amêndoa), frutos secos, sementes e tudo o resto.

large (26)

2ª lição √ Experimenta resistir à tentação

O prazer que vais sentir por teres passado em frente a uma serie de cadeias de fast-food sem caíres em tentação, é muito maior do que o prazer (momentâneo) do prato que irias comer. Acredita! E também te livras do sentimento de culpa, vai custar as primeiras vezes, mas vais conseguir e vais sentir-me mesmo bem!

3ª lição √ Educa o teu corpo

Liberta-te do vício do açúcar e do sal. Sim, é um vício. Em Janeiro, por ordens médicas passei quase 2 semanas sem consumir açúcar nem sal, zero. Foi horrível, tive dores de cabeça, indisposição, irritabilidade e uma tristeza extrema. Sentia-me uma “açucarodependente”.
Reduz estes dois ao máximo, mas aos poucos, educa o teu corpo.
Na sexta-feira antes de começar a minha dieta, almocei um hambúrguer com batatas fritas e uma sobremesa, no meu restaurante preferido, passei o resto do dia com “desejos” de comida nada saudável. Agora quando como um hambúrguer de perú sem sal no prato acompanhado de uma salada, isto já não acontece. Habitua-te a reduzir e o teu corpo já não vai pedir (não era para rimar).

4ª lição √ Arranja-te

Sim, arranja-te, pinta-te, cuida de ti. Faz por te sentires cuidada e arranjada na maioria dos dias, se o fizeres com muita frequência a tua auto-estima e confiança aumentam…ou seja,  meio caminho andado para manteres a motivação naquilo que estás a tentar alcançar.

large (28)

5ª lição √ Ignora as críticas destrutivas e os elogios pouco sinceros

Vão dizer-te que vais passar fome, que não devias fazer dieta, vão perguntar-te porquê, vão tentar desencaminhar-te, vão dizer que estás óptima, etc…quando mudamos os nossos hábitos alimentares toda a gente se mete, irra! Ignora tudo aquilo que não te faz bem, se tens um foco e sabes o que queres, segue o teu caminho em silêncio. Deixa-os falar.

6ª lição √ Planeia

Faz um diário, um plano, arranja uma app, o que te der mais jeito, mas planeia o que vais comer, e assegura-te de que tens tudo o que precisas em casa, e se necessário, leva contigo a tua refeição ou snack caso estejas na rua, na hora de comer. Não arranjes desculpas.

7ª lição √ Compra (só) coisas saudáveis

Se não tens em casa, não vais ter vontade de comer. Não enchas a despensa de porcarias, mas compra coisas que substituam as tuas gulodices. Eu por exemplo, troquei o chocolate de leite pelo chocolate preto, como?
Antes de comer o chocolate preto, bebo um chá verde sem açúcar nem mel, quando como o chocolate preto, garanto-vos que é a coisa mais doce do mundo.

8ª lição √ Tens de te mexer

Se não puderes ir ao Ginásio, faz uma caminhada, sobe escadas, dança enquanto limpas a casa, mas mexe-te! O exercício faz-nos sentir vivas e com mais energia. Mas não te iludas, para perder peso/volume são 5% de exercício físico e 95% de alimentação (true story).

large (30)

9 ª lição √ Esquece os anúncios de cremes e comprimidos

É a publicidade, é as bloggers a sugerir, é tudo e mais alguma coisa. Não estou a dizer que não compres/tomes, eu própria o faço. Mas investiga, procura reviews e fóruns de pessoas que experimentaram e tiveram resultados, e  que não estão ali só para promover aquilo que as marcas lhes ofereceram.

10ª lição √ Tira fotos

Tira fotos tuas para veres a tua  evolução. E tira fotos das tuas refeições, mesmo que não as partilhes com ninguém. Vão servir-te de inspiração.

large (24)

Não se esqueçam que a mudança não acontece de um dia para o outro, sejam pacientes e mudem aos poucos, é muito mais fácil e vão sentir-se realizadas. Festejem!

Deixo-vos aqui as minhas duas musas inspiradoras desta caminhada, façam like nas páginas, sigam no instagram, recebam notificações de todas as publicações, adicionem-se ao grupo #desafiofit (neste grupo vão encontrar muita inspiração e gente boa que vos vai ajudar e motivar). Ah, e boa sorte! :D

Vanessa Alfaro (Shape your body) FacebookInstagram
Giullia Calapez (As receitas da Gi) FacebookInstagramGrupo #desafiofitBlog

PS – Isto é apenas a minha história e experiência, não sou especialista, nem quero incentivar ninguém a emagrecer que nem umas desalmadas…vejam lá isso!

3 thoughts on “O que eu descobri sobre as dietas, e que nenhum livro te conta!

  1. Ana Catarina says:

    Tens toda a razão quando dizes que é por ti que queres mudar e não pelo que a sociedade considera ‘perfeito’. Realmente se não gostamos do que vemos ao espelho e fazemos um esforço para mudar e depois não vemos resultados, logicamente que perdemos motivação para continuar! Mas claro que no fundo no fundo sabemos o que andamos a fazer de errado para não ver os efeitos pretendidos lol. Identifiquei-me imenso com o teu texto, porque eu também sinto que é uma vida de ‘sacrifício’ e luta constante pela busca de uma alimentação saudável, aliada à prática de exercício físico regular e consequentemente uma corpo que nos agrade a nós mesmas :) . Tenho ainda que concordar que sinto o mesmo face à comida menos saudável, por exemplo se eu não beber coca-cola com o passar dos dias deixa de apetecer-me esse refrigerante, quando bebo de novo fico sempre com vontade de beber mais! O mesmo para as bolachas, batatas fritas, sobremesas, etc!
    Isto tudo para dizer que estamos juntas nesta batalha ;) que entendo perfeitamente o teu desabafo, desejo que te mantenhas firme na tua nova dieta! E que obtenhas os resultados que pretendes, se não for para este verão, insiste, persiste e não desiste que no próximo estás top de certeza!

Deixe uma resposta

Casaco Adeline Verde Tropa + 1 Item
Comprado por Silvia Pereira de Castro Marim, Portugal
 
Camisola Olivia Branco
Comprado por Fabiana Pereira de Lisboa, Portugal
 
Top Jillian Verde + 1 Item
Comprado por Nelia Botelho de São roque do Pico, Portugal
 
Casaco Staci Verde + 2 Items
Comprado por Adriana Pintoi de Belas, Portugal
 
Calças Melissa Verde Tropa
Comprado por Ana Sofia Peixoto de Montijo, Portugal